[layerslider id="15"]

Por que precisamos conhecer pessoas (ainda mais quando imigramos)?

Por que precisamos conhecer pessoas (ainda mais quando imigramos)?
30 jan 2018

O que temos a ver com o tal networking que falam por aí? Como imigrantes, muito.

O networking é estabelecer e manter pessoas por perto, fazer uma rede de pessoas que possam contar conosco e que possamos contar. Funciona como uma poupança, onde as vezes colocamos e as vezes precisamos fazer retiradas.

Como imigrantes, temos ainda mais a ver. Alguns pesquisadores mostram que os imigrantes com maior networking, por exemplo, ganham mais. E faz sentido, uma vez que temos acesso a mais informações e oportunidades. As melhores vagas são passadas aos amigos e conhecidos. Aquela feira que queremos ir, aquela promoção que vivemos querendo, isso tudo circula entre as pessoas, e se elas lembram de nós (e nós delas) e sabem o que buscamos, acabamos tendo mais oportunidades.

O tripé do networking é recuperar, aumentar e manter (amigos e conhecidos). No nosso caso, como imigrantes (principalmente os mais recentes), o recuperar é menor. Não precisamos recuperar algo que acabamos de fazer. Mas crescer e manter é fundamental.

Crescer: Precisamos conhecer pessoas, não somente na nossa área de trabalho. Conheça pessoas sempre que puder. Seu vizinho, no mercado, onde quer que vá. Se precisar, anote que as conheceu e onde. Se você não tem muito contato com gente nova, se force a ter. Vá a mercados, livrarias, shoppings etc. Arrume algo pra falar com as pessoas, ajude-as, dê opinião. Muitas vezes saímos com alguém conhecido e isso nos impede de conhecer gente nova. Tente sair sozinho(a) e conhecer algumas pessoas.

Manter: Nos mostrar interessados nelas, ajudá-las, lembrar delas. E não, isso não toma muito tempo! Alguns minutos por dia somente. Mande a informação que a pessoa quer. Por exemplo, ela gosta de cachorros, você vai ao mercado e vê um abajur de cachorro. Mande pra ela. Avise que lembrou dela. Faça dessa prática seu cotidiano. Tente ajudar ao máximo. Nós sabemos como é chato a pessoa que só nos procura quando precisa de algo, mas aquele que se lembra de nós sempre, este não incomoda quando pede algo. Como dito acima, funciona como uma poupança: ajude outros e quando precisar você tem um certo crédito. O que não pode é ficar parado.

Outro aspecto é escutar e ser lembrado. Escute as pessoas, conheça o que elas gostam e fazem. Com isso você tem mais chances de ajudar com informações e oportunidades relevantes a ela. Mas também precisa se preocupar que a pessoa saiba de você. Que conheça o que você está buscando. Lembra a foto do abajur de cachorro no mercado? Mande o texto: “Estava no mercado comprando ingredientes pra um bolo que encomendaram para mim e vi este abajur que achei que você iria gostar” – pronto, falou pra ela que você faz bolos, sem aquela coisa chata. E pode ser que você tenha mostrado algo novo pra ela, o tal abajur.

Onde será que estão as informações das melhores oportunidades de Orlando? Podem estar com seu vizinho, mas se vocês não se conhecerem, esta informação não chegará até você. Comece a praticar seu networking, mesmo que algumas poucas vezes por dia. Em curto prazo você verá os resultados.

Boa sorte!

Giuliano Garbi
Mestre em Análise do comportamento. Estudioso de Networking.
Residente em Kissimmee.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba as novidades BrazilUSA

Faça parte de nossos assinantes e receba todas as novidades da BrazilUSA.

You have Successfully Subscribed!