[layerslider id="15"]

A Neurociência da Felicidade

A Neurociência da Felicidade
08 dez 2017

Estou super empolgada com o fim do ano, pois 2017 foi a oportunidade de realmente fazer as coisas acontecerem, de renovar não somente o guarda-roupa, mas de dar uma roupagem nova para os relacionamentos; de definitivamente ser mais feliz. E felicidade é um dos meus assuntos prediletos; tanto que escrevi o livro “A Neurociência da Felicidade”.

Para mim, a felicidade começa com a vontade de ser feliz. Você toma a decisão de ser feliz e, consequentemente, seus comportamentos irão em direção a esse alvo. Gosto de pensar que a felicidade está relacionada com a satisfação, com o equilíbrio físico e mental e com a certeza de que os problemas podem ser resolvidos. Ser feliz é estar disposto a encontrar o que a vida tem de melhor para nos oferecer; é sair da posição de vítima e agir para as coisas melhorem. Felicidade é gostar de viver. Há pessoas que não gostam de viver. Prova disso é que não cuidam da própria saúde, reclamam de tudo, tornam-se companhias desagradáveis e acabam afastando os outros. E ainda há aqueles que acreditam que a felicidade é uma condição reservada para o futuro e, por isso, vivem o presente de qualquer jeito.

Nesse momento, lembro-me da definição de vida de que mais: “Vida é o que acontece enquanto planejamos o futuro.” Vida é hoje, e hoje é o tempo para ser feliz. Entendeu? A felicidade é um caminho e não um destino. Ela está relacionada com as escolhas que fazemos e como reagimos diante dos problemas hoje e não com algo reservado para o futuro.

Já conversei com muitas pessoas extremamente insatisfeitas com a própria vida, mas quando a elas são propostas mudanças de comportamento, apresentam-se resistentes para fazê-las, encontrando desculpas para justificar a repetição de comportamentos inadequados. As frases “Eu não consigo”, “Já tentei mudar e não funcionou” e “Ninguém me incentiva” são argumentos clássicos daqueles que esperam que, em um passe de mágica, os desafios desapareçam de seu caminho.

Proponho que durante esse período natalino você se desafie a ser melhor. Desejo que haja empenho para melhorar os relacionamentos, que não desanime diante dos desafios e que se torne um ombro amigo, um ouvido disposto ao desabafo, lábios que transmitam paz e segurança. Enfim; convido para ser feliz e que as boas surpresas ainda possam lhe encontrar nesse finalzinho de ano.

Seja feliz!

Dra Rosana Alves

 Doutora Rosana

 @doutorarosana

 doutorarosana.comneurogenesisinstitute.com

Compartilhar

Comentários

  1. Roseane Cabral Disse: 15 maio, 2018

    Gostaria muito de saber onde encontro seus livros aqui no Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba as novidades BrazilUSA

Faça parte de nossos assinantes e receba todas as novidades da BrazilUSA.

You have Successfully Subscribed!