[layerslider id="15"]

Mais respeito, por favor!

Mais respeito, por favor!
29 mar 2018

Salve salve mulherada bonita da terra do Mickey! Que abril venha cheio de sol e muita alegria.

Mês passado aconteceu uma tragédia aqui na Flórida. Houve um tiroteio em uma em Parkland, a duas horas de distância de Orlando. O que mais me aterrorizou foi que o assassino era um ex-aluno. Dezessete crianças foram mortas .

Mais uma vez, nós mães, nos perguntamos se nossos filhos estão a salvo dentro das salas de aula. Mais uma vez nosso coração fica apertado. Sim, não há dúvida que o medo é válido porque não sabemos direito como funcionam as leis para porte de arma e as notícias que nos chegam são cada vez mais assustadoras.

Quando saímos do Brasil, saímos em busca de uma vida melhor, com mais segurança e mais oportunidades. Se você perguntar a qualquer mãe brasileira, acredite, ela vai responder que também deixou o Brasil com medo da violência.

Casos como esses são recorrentes aqui no Estados Unidos. Muitos desses crimes são cometidos por adolescentes que tem problemas com auto estima e bullying. Esses jovens sofrem por anos, até o momento que cometem uma loucura.

Nós, mães, temos tantas preocupações o tempo todo que as vezes não damos a devida atenção aos nossos filhos porque, antigamente, humilhar uma criança gorda ou que usava óculos, era comum, não era motivo pra uma conversa com a professora ou uma conferência com a diretora. Nós sobrevivemos, não é mesmo? Eles sobreviverão. Baseadas nisso deixamos passar despercebido a briga na escola, o filho resmungando, reclamando do amiguinho que o chamou de imigrante burro porque ele não domina o Inglês.

Colocamos na Gaveta a história que sua filha contou sobre ser humilhada por ser alta demais ou branca demais, ou o cabelo dela não ser lisinho como as crianças loiras de olhos azuis americanas.

Semana passada, conversando com uma pai, ele contou que a filha apanhou na escola de uma outra menina. Ela só tem 12 anos e enquanto apanhava e era humilhada, as outras crianças filmavam com seus smartfones e faziam snap chat daquela cena lamentável. A mãe recebeu o vídeo e, indignada, foi fazer uma reclamação na escola.

Lá, falaram que a filha era culpada. Mentira, e mesmo que fosse verdade, em que mundo estamos onde nossos filhos apanham nas escolas e ninguém faz nada? Façamos alguma coisa por nossas crianças! Tomemos a dor delas.
Que reclamemos na escola se alguém os humilhar ou fizer uma brincadeira cruel.

É na escola que eles aprendem a conviver em sociedade, então, que sejamos uma sociedade melhor.
CHEGA, BASTA DE HUMILHAÇÃO.

Essas crianças são o nosso futuro. Elas são o nosso bem mais precioso.
Perguntem aos seus filhos como anda a escola, quem são os amigos e façam questão de conhecer os pais dos amiguinhos, mesmo tendo o idioma como barreira.

Estamos juntos nessa.
Um beijo enorme, do tamanho do Brasil. Amo vocês!

Lisa Camargo.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

3 × 3 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba as novidades BrazilUSA

Faça parte de nossos assinantes e receba todas as novidades da BrazilUSA.

You have Successfully Subscribed!