[layerslider id="15"]

Golpe Digital – Não caia nessa

Golpe Digital – Não caia nessa
04 fev 2018

Hoje é muito comum eu encontrar clientes vítimas de um golpe digital. Esses criminosos se aproveitam da boa-fé das pessoas para aplicar crimes de estelionato, roubo de identidade, fraude, sequestro de dados e extorsão.

 

Um exemplo comum é o Phishing Scam; através de uma ligação telefônica, usando nomes de companhias famosas como Microsoft e Dell, o meliante engana a vítima dizendo que ela tem muitos problemas no computador, e que ele precisa acessar remotamente o computador para fazer uma varredura de vírus. Geralmente essas grandes empresas nunca ligam para o consumidor. Em outros casos, através de espaços de propaganda ou sites falsos, os bandidos digitais criam uma janela pop-up no computador da vítima, dizendo que ela tem milhares de vírus que devem ser limpos, e que a vítima precisa telefonar para eles para ajudar a limpar a infecção.

 

Uma vez com acesso remoto ao computador, esses malfeitores tem controle total sobre a máquina. Podem tentar uma extorsão criminosa (racketeering), enganando a vítima em centenas de dólares em um contrato de manutenção que não tem resultado nenhum. Quando a vítima se recusa a pagar, aí os facínoras realmente se vingam: colocam senhas bloqueando o usuário, instalam acesso remoto automático, abrem sites pornográficos ou incriminadores, criptografam todos os dados com uma chave que só eles possuem, apagam documentos e e-mails do computador, roubam senhas, dados pessoais, dados bancários, e outras informações sigilosas. Algumas vezes, os marginais nem se preocupam em manter uma aparência de legitimidade da empresa, e vão diretamente para o roubo ou sequestro de dados. Se a vítima não paga o resgate ou não possui um backup confiável, tudo é perdido.

 

Prevenção e recuperação

 

A melhor prevenção é não tomar decisões se tiver em dúvida. Se você receber uma ligação e não tem certeza se a pessoa do outro lado tem boas intenções, peça ajuda a quem você confia. Se seu computador tem uma janela que te assusta, piscando alarmes, às vezes é necessário somente reiniciá-lo. Outra atitude válida é não retornar ao mesmo website que te criou problemas.

 

Existem programas que ajudam a proteger contra ataques desse tipo, mas não há nenhum programa que consiga proteger um computador 100% contra todo tipo de ameaça. Nessa corrida, os malandros sempre levam vantagem: para cada nova tramoia, a indústria de anti-malware tem que se adaptar e criar uma nova solução de proteção; até se tornar um padrão de-facto de proteção, muitas vítimas já tiveram perdas, sejam financeiras, de dados, ou de tempo necessário para a remediação do dano já causado.

 

Outro problema grande que eu observo é quando a vítima procura resolver o problema sozinha. Uma busca sobre “como remover vírus de computador” no Google traz mais problemas do que soluções; os patifes, sabendo que essa é a primeira reação, aproveitam para criar programas de limpeza falsos que aparecem nas primeiras páginas da busca, complicando ainda mais a vida da coitada da vítima. Já tive casos em que havia uma quantidade maior de programas de “proteção” e “limpeza” causando estragos do que a infecção original de malware.

 

A limpeza de um computador infectado não é um processo complexo, mas quando o assunto é recuperação de dados, é recomendada a ajuda de um profissional. Existem técnicas para a recuperação de dados, mas quanto mais tempo a vítima demora a procurar ajuda especializada, menores as chances de recuperação. Se continuar usando o computador, as informações vão sendo destruídas muito rapidamente. Pagar o resgate a esses canalhas somente alimenta ainda mais essa atividade criminosa.

Se você foi vítima desses estelionatários, a primeira providência é entrar em contato com um profissional; uma vez determinado o tamanho do dano, ele irá te ajudar nos próximos passos, que podem envolver o cancelamento do pagamento junto à empresa de cartão de crédito, o pedido do cancelamento de um cartão de débito, mudança de senhas e códigos, entre outros. Mas como já mencionei, muitas vezes é só não acreditar no conto do vigário, e reiniciar o computador.

 

Alison Oliveira é consultor de tecnologia, formado em Ciências da Computação pela Universidade Estadual de Maringá, e atua na área a mais de 25 anos. Atendendo a região de Sarasota, Venice e Bradenton, se tiver qualquer dúvida ou pergunta, ligue para (941) 586-5187, ou envie um email para  Alison@ComputersAndGadgets.com

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba as novidades BrazilUSA

Faça parte de nossos assinantes e receba todas as novidades da BrazilUSA.

You have Successfully Subscribed!