[layerslider id="15"]

Tudo pronto para o fim de ano?

Tudo pronto para o fim de ano?
10 dez 2017

Para muitos este é um momento de reflexão. Afinal, fim de ano nos remete a tudo que foi feito durante os quase 365 dias que antecederam nosso pensamento. Várias perguntas pairam no ar, e se você se identifica com esta visão de interrogação, vale a pena colocar em prática a famosa Lista Mental.

Não perca tempo, pegue caneta e papel e faça o seguinte exercício: escreva tudo de bom e ruim que você fez. Escrever tudo de ruim inclui, inclusive, uma bebedeira que causou uma dor de cabeça terrível, porque estragar nosso corpo também é fazer mal. Depois escreva tudo o que você ainda quer fazer nestes últimos dias de 2017 e pontue, claro, tudo que você quer fazer em 2018. Tente chegar ao equilíbrio. Algumas respostas te deixarão sem perguntas; e outras te deixarão com mais perguntas.

Como comunicadora, penso que algo precisa ser feito em sua arte de se expressar. Tente colocar os princípios básicos da vida em primeiro lugar, ou seja, se sua saúde está debilitada, volte duas casas. Como em um jogo de tabuleiro mesmo, você precisa entender que se seu esforço físico ou mental é atrelado ao seu estado do corpo. Ele precisa estar saudável para aguentar suas decisões. Seus pés e joelhos precisam estar fortes para suportar o peso de suas indecisões.

Bom, chegamos a conclusão que a parte corporal está satisfatória para seguir em frente? Então, vamos lá. O que é demasiadamente importante para você: formar uma família ou ser reconhecido profissionalmente? Que tal os dois? Converse consigo para entender em qual nível está sua necessidade de ampliar os horizontes. Hoje em dia, vemos mães de família sendo felizes só porque se encontrou ao cuidar de um lar e dos filhos. Assim como vemos muitas mulheres no topo da lista dos mais influentes no mundo empresarial. Para cada uma, a vida cobrou ou cobrará de um jeito.

Vi uma entrevista com Padre Fábio de Melo, que aliás esteve estes dias em Miami/Orlando, na qual o religioso estava dizendo que uma mulher queria que ele fosse exorcizar a casa dela. Ele de uma forma muito leve respondeu: “Cada um que cuide do diabo que criou”. A frase é forte, mas é a verdade. Quantas vezes nós mesmo nos envolvemos em uma teia de mentiras, dores e irrelevâncias? Quantas vezes não deixamos para lá aquilo que nos feriu, mas não nos machucou?

Se hoje você quer mudar algo, ainda dá tempo. Se você quer alcançar algo, ainda dá tempo. Não estou falando em tempo físico, estou falando de tempo moral de fazer algo por você. Se naquela lista (feita à caneta – insisto), você vir que tem algum detalhe que te desagrada, que tem fatos que deixam enojadas, que tem situações que você pode fazer a diferença, que tal começar a roteirizar sua vida por ela? Lembre-se: a comunicação com os outros é um dom, mas começar consigo mesmo pode ser a solução dos seus problemas.

Juliana Bontorim

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove + dezoito =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba as novidades BrazilUSA

Faça parte de nossos assinantes e receba todas as novidades da BrazilUSA.

You have Successfully Subscribed!