[layerslider id="15"]

Botox para procedimentos não estéticos

Botox para procedimentos não estéticos
29 mar 2018

Botox ou toxina botulínica se tornou uma febre mundial por radicalmente revolucionar o mercado cosmético como uma solução contra o envelhecimento, paralisando a musculatura de áreas faciais onde rugas tendem a aparecer com o passar dos anos, gerando assim uma pele lisa e de aspecto rejuvenescido.

O que pouca gente sabe é que esta mesma toxina pode ser usada para resolver diversos outros problemas não necessariamente relacionados às marcas do tempo. Um exemplo disso é o uso do Botox para controlar Hiperidrose, uma condição clinica caracterizada por suor excessivo, seja nas axilas, palmas das mãos e dos pés ou outras áreas do corpo. Como minha área é a Odontologia, vou me ater ao que diz respeito à minha profissão.

A toxina botulínica pode trazer benefícios para várias condições clinicas que outrora só se resolveriam com procedimentos cirúrgicos ou mais invasivos. Determinadas assimetrias faciais como uma sobrancelha mais alta que a outra, um canto da boca diferente do outro, etc, podem ser muito facilmente corrigidos com Botox.

Um problema relativamente comum, por exemplo é o sorriso gengival, certas pessoas quando sorriem mostram uma quantidade exagerada de gengiva. Isso pode acontecer por vários motivos e em um primeiro momento a tendência é que o profissional recomende algum tipo de cirurgia corretiva ou tratamento ortodôntico, porém em uma grande parcela dos casos poucas unidades de toxina botulínica podem resolver completamente este tipo de condição. Muito embora o efeito dure entre três e seis meses, é uma alternativa bem menos invasiva do que qualquer outra modalidade de tratamento.

Outro ótimo exemplo é o uso para pacientes com enxaqueca crônica ou problemas na Articulação Temporomandibular (ATM). Aplicações de Botox nos músculos envolvidos nestas áreas promovem alivio praticamente imediato às pessoas que convivem com estes problemas.

O mais importante, como já frisei nesta coluna anteriormente é o paciente se certificar de que o profissional que está fazendo a aplicação tem licença para fazê-lo, experiência suficiente para chegar ao diagnóstico correto, usa produtos legítimos e aprovados pelos órgãos reguladores (aqui nos USA no caso seriam a FDA e ADA) e tem competência para fazer um trabalho correto e responsável. O mau uso do Botox pode levar à resultados frustrantes e até mesmo catastróficos, embora o efeito seja passageiro.

Até a próxima!

Dr. Gustavo de Oliveira.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − oito =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba as novidades BrazilUSA

Faça parte de nossos assinantes e receba todas as novidades da BrazilUSA.

You have Successfully Subscribed!