[layerslider id="15"]

8º Mandamento – Um Grito Contra a Preguiça

8º Mandamento – Um Grito Contra a Preguiça
31 maio 2018

CAPA ORLANDO GOSPEL 13“Aquele que furtava, não furte mais, antes trabalhe, fazendo com as próprias mãos o que é bom, para que tenha com que atender ao necessitado…” (Efésios 4:28)

Um dos grandes sonhos dos jovens universitários brasileiros é passar em algum concurso público que lhes traga estabilidade financeira. Como poucos alcançam essa marca, mergulhamos numa das legislações trabalhistas mais complexas do mundo, onde luta-se por trabalhar cada vez menos, ao passo que se buscam mais direitos, regalias e benefícios.
Esse diagnóstico retrata uma realidade tenebrosa para o futuro de uma nação, pois tendo sido criados por Deus para o trabalho, buscamos cada vez mais o ganho fácil.
Como consequência, estamos testemunhando o levantar de uma geração de meninos sonhadores, que colocam suas cabeças nas estrelas e desejam o mundo; mas não colocam os seus pés no chão.
“Não furtarás” está na Lei de Deus, não apenas para denunciar o valor extraordinário da propriedade privada, mas para nos ensinar que os verdadeiros valores do Reino de Deus são vividos num ambiente de liberdade e labor. Vejamos nas palavras de Paulo no versículo acima.

1.“Aquele que furtava, não furte mais”
Aqui está o aspecto direto e objetivo do mandamento, mas vejam como ele se desenvolve:

2.“Antes trabalhe”
Ou seja, temos um mandamento que se opõe ao sonho do ócio, pois nos instiga ao trabalho, ao suor e ao desenvolvimento. Portanto, o ideal que temos aprendido com a mente esquerdizada das últimas décadas, em que nos tornamos cada vez mais dependentes do Estado, é uma afronta aos Princípios da Palavra de Deus.

3.“Fazendo com as próprias mãos o que é bom”
Nosso trabalho deve ser bem feito. Os crentes devem ser conhecidos por serem os melhores trabalhadores, mas, infelizmente, o que temos visto é o inverso. Muitos acham que o trabalho é lugar de fazer “cultinho”, quando estão ali para dar o melhor de si no desenvolvimento daquilo que estão sendo pagos para fazer.

4.“Para que tenha com que atender ao necessitado.”
Finalmente, o nosso ganho não nos deve tornar gananciosos, antes, altruístas. Isso se contrapõe ao Comunismo que obriga indivíduos a dividirem seus ganhos com ociosos e inconsequentes, enquanto somos instruídos pela Palavra de Deus a, voluntariamente, ajudarmos aos que precisam de auxílio e cuidado!

Pr Samuel Vitalino

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba as novidades BrazilUSA

Faça parte de nossos assinantes e receba todas as novidades da BrazilUSA.

You have Successfully Subscribed!