[layerslider id="15"]

Neuralgia do Trigêmeo

Neuralgia do Trigêmeo
20 dez 2018

BRAZILUSA ORLANDO 95 CAPAMuito cedo em minha carreira, ainda quando eu estava começando a clinicar no Rio de Janeiro, me deparei com uma paciente que sofria de dores extremamente intensas em somente um lado da face, ela descrevia essas dores como muito agudas, quase como um choque elétrico acompanhado de um formigamento na área afetada.

Esta paciente, uma senhora de terceira idade, convivia com essa angústia por muitos anos e relatou que, às vezes, passava meses sem nada sentir e de repente as dores voltavam muito intensamente podendo gerar vários episódios durante um mesmo dia. Curiosamente, essa senhora apresentava saúde oral impecável, sem cáries, sem doença periodontal ou problemas gengivais. Era também muito saudável de uma forma geral.

Esta seria a primeira vez que eu me depararia com um caso clássico de Neuralgia do Trigêmeo, ou Nevralgia do Trigêmeo, uma condição que afeta um dos principais nervos da face e que apesar de ser bem conhecido no meio médico e odontológico, não possui causa específica, nem cura, somente tratamentos paliativos no intuito de amenizar a dor.

O nervo Trigêmeo é o quinto nervo craniano e também o maior de todos eles, recebendo este nome por possuir três ramos: Oftálmico, Maxilar e Mandibular. Dentre suas funções principais estão a sensação da face assim como funções motoras como a mastigação.

Não se sabe ao certo o que causa este problema, mas acredita-se que algo leva em algumas pessoas à perda da bainha de mielina que é uma camada que envolve os nervos agindo como um isolante elétrico e fazendo com que estímulos nervosos possam viajar pelos nervos de forma harmoniosa. Com a perda da bainha de mielina, o nervo age como um “fio desencapado” e descargas elétricas podem ocorrer causando extremo desconforto. Pacientes descrevem essa dor intensa como fisgadas, choques elétricos, dores agudas que são sentidas quase como se caminhassem pela face, sem aviso prévio. Na verdade, o que o paciente sente é este impulso elétrico sendo conduzido pela trajetória do nervo e como o nervo Trigêmeo possui três ramos, essa dor pode variar entre a área próxima aos olhos, entre o nariz e o ouvido e descer também do ouvido até a mandíbula.

Não há também uma explicação para o que irá gerar a dor. Às vezes um simples toque ou uma rajada leve de vento pode levar a um episodio de dor causada por Neuralgia do Trigêmeo.

Remédios específicos para dor, acupuntura e tratamentos holísticos tendem a amenizar estes episódios, porem infelizmente não há cura. Sintomas podem ir e vir, podem durar dias assim como podem desaparecer por meses. O mais importante é estar sob atenção de um profissional competente, capaz de chegar a este difícil diagnóstico porque se esta dor for confundida com problemas dentários, um diagnóstico errado pode levar a tratamentos desnecessários como extrações e tratamento de canal que não irão resolver o problema e causarão perdas ainda maiores, inclusive financeiras, a estes pacientes.

 

Até a próxima!

Gustavo de Oliveira

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Receba as novidades BrazilUSA

Faça parte de nossos assinantes e receba todas as novidades da BrazilUSA.

You have Successfully Subscribed!